segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Sistema Desportivo o criador

  Getúlio Vargas, o criador do Sistema Desportivo Brasileiro:

  Dia 24 de agosto de 1954 no Palácio do Catete/RJ, com um tiro no peito, morreu Getúlio Vargas o criador do Sistema Desportivo Brasileiro.

  A morte do Presidente ocorreu em meio ao "mar de lama", título das severas criticas do algunhado "o corvo" pelos getulistas, Carlos Lacerda, considerado um dos maiores oradores da humanidade.

  Em 24/8/1954, a população revoltou-se. Porto Alegre foi literalmente incendiada. Comparando, as balbúrdias dos protestos de meados de 2013 foram crime de bagatela.

  A "história" oficial não conta, por exemplo: no Colégio Anchieta, então na rua Duque de Caxias, no Centro de Porto Alegre, no primeiro período de aula, na manhã de 24/8/1954, os padres jesuítas alemães suspenderam as aulas e mandaram os estudantes para casa; contudo, ninguém pode sair das dependências da escola porque o povo, enlouquecido, com latas de gasolina incendiou o prédio amarelo, de dois andares, das Rádios Farroupilha e Difusora, do Assis Chauteaubriand; para a rua, os artistas do rádio e da novela, ídolos da época corriam apavorados.
  Perto do prédio do IAPB (Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Bancários) um homem ficou sobre a janela agarrando-se, do lado de fora, no canto do prédio amarelo, sobre o viaduto; não aguentou as chamas e desabou, espatifando-se sobre a escadaria do viaduto da Borges de Medeiros.
  Também omitiram as mortes em tiroteios. Só no Bar Fedor, na esquina da rua Felipe Camarão com a Av. Osvaldo Aranha, o snooker, em frente ao Pronto Socorro, quatro morreram baleados.
Quatro mortes... Pensando bem, como o pessoal era tranquilo.
Em Porto Alegre, ao final de 2014, a média de um dia "normal" passou de um assassinato por hora! Atualmente, em cada dia, mais de 170 brasileiros são assassinados...

Como se chegou nisto? Mediante a manipulação psicopata jogando as pessoas bem intencionadas umas contra as outras.

Assim sofreram Getúlio Vargas e Carlos Lacerda jogados um contra o outro...

O mais rápido e contundente discurso da história humana:
 Carlos Lacerda era governador da Guanabara, então Capital da República quando se instalou a polêmica contra a extradição do nazista Eichmann responsável pelo extermínio de milhões! Pois os psicopatas dissimulados humanistas, esses "defensores dos direitos humanos dos bandidos", já estavam lá, insuflando as massas com algo que parecia fazer sentido: se o Brasil não possuía pena de morte e o pedido de extradição partia de local onde ela existia, o bandido estaria sendo enviado para morrer.
O povo, reunido na praça em frente ao palácio, bradava contra a extradição. Lacerda fez uma rápida e certeira manifestação da Lacerda. 

  "Errar é humano, perdoar é divino!
  " Não sou, nem tenho pretensão de ser divino.
  "Os homens devem ser julgados pelas leis dos homens.
  "A impunidade dos maus gera a audácia dos maus!".
Ao contrário da atual inversão de valores, das vítimas e familiares sofrendo enquanto os bandidos são protegidos, o carrasco responsável pelo extermínio de milhões de pessoas foi extraditado.
Lacerda verbalizou a lição de Leonardo Da Vinci, um dos maiores luminares da humanidade: "Quem não pune o mal o está incentivando!"
Da Vinci é considerado o maior gênio da história devido a fabulosa e talentosa transdisciplinaridade: das ciências às artes, engenhosidade e criatividade, inventou inúmeras utilidades. Desde uma bobina automática até um aparelho de teste da resistência à tração de um fio. Foi responsável por grande avanço do conhecimento nos campos da anatomia, da engenharia civil, da óptica e da hidrodinâmica. Escrevia com as ambas mãos, inclusive ao mesmo tempo textos diversos, ou com escrita refletida (que só lê pelo espelho). Em 1926, seu QI foi estimado em 180. Sua obra, como acontece com todo o visionário, causou polêmicas. Concebeu ideias muito à frente de seu tempo, como o casco duplo nas embarcações, uma teoria das placas tectônicas. Poucos de seus projetos foram construídos durante sua vida porque, muitos, nem eram factíveis pela tecnologia da época, como um protótipo de helicóptero, tanque de guerra, o uso da energia solar, calculadora. Outro interessantíssimos aspectos do brilhantismo de Da Vinci:     http://www.padilla.adv.br/evoluir/davinci/

Lacerda, embora apaixonado em seus posicionamentos, era flexível e procurava escutar os argumentos dos oponentes; altivo, mudava de posição ao perceber sentido no oposto ao que, até então, defendia. Assim aconteceu quando saiu do Partido Comunista em 1929 e iniciou forte oposição àquele regime. Também fica claro em 1964 quando, após apoiar intensamente o Movimento resultante na instalação do Governo Militar, tornou-se seu ferrenho opositor.

Orador de estilo inconfundível, expressava direta e imediatamente a sua própria percepção da realidade em um raciocínio luminar, como ilustra um de seus célebres discursos; no Congresso Nacional, o líder da facção rival pediu um aparte; corajoso e curioso, Lacerda concedeu a palavra; o Deputado Federal extremista o atacou: "-Vossa Excelência é um purgante!" Sem pestanejar, respondeu Lacerda: "-E Vossa Excelência é o efeito desse purgante!"

Bem intencionado e apegado aos seus princípios, especialmente o de sempre dizer a verdade, Carlos Lacerda envolveu-se em conflitos até com amigos porque, mesmo consciente de poder afastar as pessoas próximas, não deixava de manifestar abertamente o seu pensamento: "Coleciono inimigos também. Sempre pronto a me livrar deles, transformando-os em amigos. É natural, pois, que alguns amigos, às vezes, se transformam em inimigos, como compensação" (LACERDA, Carlos. Rosas e pedras de meu caminho. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001, p.56).

Carlos Frederico Werneck de Lacerda é uma das lendas da vida pública brasileira. Jornalista de posicionamentos firmes, foi ferrenho opositor do mais ilustre ex-aluno da Faculdade de Direito da UFRGS, Getúlio Vargas, e terminou apontado como o estopim causador do alegado suicídio do Presidente da República: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2004/09/getulio-vargas.html

  Teria sido uma dupla queima de arquivo? Afinal, num só lance, "mataram" os dois principais oponentes dos sociopatolobistas. Vargas foi, literalmente, morto; Lacerda foi sufocado pela pecha de causar da morte daquele que é considerado um dos maiores políticos do Século XX, ademais da visão em criar os Sistemas Trabalhista e Desportivo, e inovações como a celebração do dia do professor (15 de outubro), construiu um caminho para o poder ditatorial central a partir de um estado fronteiriço; após 15 anos, cedeu às pressões dos ex-tenentes da revolução de 1930 e renunciou à presidência; contudo, quatro anos depois, volta eleito, um cartel de realizações sem precedentes na história. Essa percepção que apresentamos há uma década, é compartilhada por historiadores como Eduardo "Peninha" Bueno (O BRASIL POR EDUARDO BUENO - Getúlio Vargas) http://www.youtube.com/watch?v=h02anqut4Xw


  Getúlio foi assassinado?
  A ex-corista do teatro rebolado, eleita o melhor par de pernas do Brasil, Virginia Lane, declara que sim. Vivendo no Retiro dos Artistas, na Barra da Tijuca, com memória preservada aos 86 anos, teria motivo para mentir? Ela foi amante do Getúlio. Quando a gauchada et alli subiu para o Rio de Janeiro, e ocupou o Catete, de 3 a 24 de outubro de 1930, amarraram os cavalos no Obelisco da Av. Rio Branco. Ficaram tão encantados pelo Rio que... Esqueceram dos cavalos! Também pudera, imagina o deslumbramento com o Cassino da Urca, com o Lulu dos Caçadores, e o jogo aberto, roleta, carteado e bacará e a mesa do pano verde funcionando a noite toda; a praia, enfim, muita novidade.  O povão pobre apanhou os cavalos do Obelisco e os aproveitaram em suas carroças nas favelas cariocas.

 Pois logo em seguida, o Banco Pelotense - o maior banco privado do Brasil – fechou http://pt.wikipedia.org/wiki/Banco_pelotense e os fazendeiros gaúchos perderam tudo; jamais perdoaram Getúlio e seu sogro, Manoel Sarmanho, matou-se de vergonha pelo genro não ter ajudado e permitido todos falirem. Desde então, Darci Lima Sarmanho, deixou de dividir a cama com o marido; esse casamento havia sido um arranjo entre as famílias dos noivos apoiadoras de partidos políticos rivais na Revolução Federalista de 1893; a de Getúlio era ximango (do Partido Republicano Rio-grandense) e a família de Darcy Sarmanho era maragato (do Partido Federalista do Rio Grande do Sul). Desde então, Virginia Lane passou a viver, discretamente, no Palácio do Catete, com o Presidente; em 24 de agosto de 1954, estava na cama com ele quando entraram mascarados e mataram Getúlio; apavorada, ela fugiu pela janela dos fundos, pelos jardins.

  O suicídio é um ato de insanidade, e não parece compatível com o teor da carta testamento, cuja intenção positiva é o bem estar da nação: ora, você não concorda que permanecendo vivo poderia fazer mais do que morto? A história do suicídio faz ainda menos sentida se lembramos Getúlio ter passado por crises; na pior delas, renunciou à Presidência e, anos depois, voltou eleito. Quando do alegado suicídio, contava com amplo apoio popular e, se renunciasse, teria elevada possibilidade de eleger-se novamente! Não seria a primeira mentira da história.

  Ouça Virgínia Lane na entrevista a Roberto Canázio, da Rádio Globo, no último dia do Carnaval de 2007; falaram sobre marchinhas e da atração das pernas da ex-vedete e, da conhecida relação amorosa mantida por 15 anos com o presidente Getúlio Vargas, quando revelou o assassinato: http://mais.uol.com.br/view/12422487


  As mudanças da globalização:
  Jânio da Silva Quadros é uma das provas vivas do quanto a política mudou após a globalização, cujo marco é a Copa do Mundo de 1966. Professor de português, foi transmutado em político com base apenas em seu carisma. Tornou-se vereador por uma campanha consistente em "santinhos" impressos no mimeógrafo do Centro Acadêmico e distribuídos pelos estudantes. Fenômeno eleitoral, sua meteórica carreira era assombrada pela crítica de beber muito, até ser confrontado por um jornalista: "Sr. Presidente, por que o senhor bebe tanto?"
  Encarando o interlocutor, calma e pausadamente respondeu: "Bebo... Porque é líquido; se fosse sólido, comê-lo-ia."

  Jânio, independente e audaz, elegeu-se sobre seu carisma. A globalização pôs fim a era das eleições baseadas no carisma. Criou a manipulação midiática, forjando e destruindo as lideranças: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2006/05/idolatria-midia-manipula-cria-falsos.html

  Em 25 de agosto de 1961, renunciou a Presidência da República. Os generais não queriam Jango, o vice-presidente João Goulart, assumindo, porque era comunista e, acreditem, a LEC, Liga Eleitoral Católica, sustentava que os comunas comiam criancinhas, ao tempo quando isso não era exatamente pedofilia... Brizolla aproveitou e criou a Legalidade; faltou pouco para eclodir uma guerra civil. Requisitou a potente e acreditada Rádio Guiaba e fez um estardalhaço, levantando o Rio Grande do Sul. Não tivesse a Rádio Guaíba, a Legalidade ficaria restrita à Praça da Matriz e a turma lá reunida para conversar, tomar mate e receber revolver Taurus, de graça, que vinham em caixas e eram distribuídas pelo Cel Nehme aos de esquerda. Nerio Letti conta que ele a sua turma - do 4° do Direito da UFRGS – entraram na fila para recebe revólver, só por farra, e o Cel. Nehme vetou porque não armava os "quadrados" (como os católicos); apenas à esquerda viradora de bondes.
  As biografias do Leonel Brizolla também omitem que, de origem pobre, da Cruzinha, e cujo pai foi degolado, em 1923, pelas forças do caudilho de Santa Bárbara do Sul, Victor Dumoncel, com 32 anos, no auge da forma casou com a rica Neusa Goulart, irmã do Jango permitindo ascender no partido, antes de ser Secretário das Obras Públicas do governo estadual do general Ernesto Dornelles; foi o candidato da situação a Prefeitura; apesar de ter apoio de Pasqualini, Jango, Caruso, Brochado da Rocha, José Vécchi, Aloisio Fiho e demais mandantes do velho PTB foi derrotado pelo Dr. Hildo Meneghetti.
"Um poder será tanto maior quando menos for percebido." Michel Foucault, livro disponível em http://www.facebook.com/download/154625034700085/Foucault-Michel_Vigiar-e-Punir.pdf

A corrupção alimenta-se da insegurança, que decorre da não efetividade da justiça. Inescrupulosos dominam a sociedade. Acabaram com a educação e saúde públicas e, agora, fomentam a insegurança. A chance de alguém da sua família ser assaltado, sua filha estuprada ou um parente sofrer um sequestro relâmpago ao longo da vida, no Brasil, é quase 97%. Quando sentimos medo, o raciocínio oblitera, inibe a resistência e facilita a terceirização do pensamento. Leia mais em: http://blog.kanitz.com.br/2012/11/polícia-e-segurança.html
O medo entorpece a capacidade de raciocinar. Leia mais em: http://www.padilla.adv.br/processo/pensamento/
Essa insidiosa estratégia dos manipuladores que comanda a roubalheira envolve coisas como incentivar crianças a experimentar sexualidade precocemente, ou colocar uma etnia ou geração contra outra, ou estimular a disputa entre os sexos, grupos, etc., tudo para dividir. Como ao fomentar a disputa ideológica; tudo estratégias dissimuladas para escravização a população; ressublimar as pessoas em meras engrenagens do mecanismo para ampliar a concentração de riquezas/poder nas mãos dos sociopatolobistas.
O saudoso Geraldo Rosa, líder estudantil, no final dos anos setenta, ainda sob um governo militar, percebeu o engodo: "o talento filosófico da esquerda é patrocinado pelo talento financeiro da direita".
A luta ideológica é um engodo, apenas para envolver as pessoas decentes e, acreditando em faceta "ideais" antagônicas, são facilmente colocadas umas contra as outras, anulando as possibilidades dessas pessoas decentes realmente mobilizarem-se em prol do aperfeiçoamento, porque divididas e ocupadas num conflito sem fim; enquanto isto, os politicorruptos tomam conta da sociedade, conduzindo-a no interesse dos sociopatolobistas.  Por fomentar o despertar de consciência, a liderança de Geraldo foi destruída e ele morreu.

Nos anos setenta, as Artes Marciais também foram alvo de infâmia pelos sociopatolobistas. Porque "Martial Arts" são - comprovado por milhares de anos de história oriental, uma das melhores e mais sadias formas de fomentar o autoaperfeiçoamento e vacinar contra a superficialidade e a corrupção: http://sindiplam.blogspot.com.br/2013/03/lutas-e-artes-marciais-tripartem-o-foco.html

Do medo: Pessoas bem intencionadas são anuladas jogadas, umas contra as outras, através de preconceitos, bullyng, difamações, assédio!   Para completar a teia de paradoxos anulando o processo de pensamento, professores e outras atividades importantes para disseminar a cultura e a paz social como as forças de segurança, são aviltados e infamados enquanto os politicorruptos e as pessoas superficiais (como os big brothers, jogadores de futebol, e toda sorte de fuleiros) são destaque da mídia noticia sobre se "darem bem". É uma inversão de valores estimulando a Acultura e a indecência!

Para quem acha que viveu debaixo de ditadura por ter havido cinco presidentes eleitos entre generais por um Colégio Eleitoral lembre os quinze anos de um único presidente sem eleições para estados e municípios e sem Congresso Nacional. Getúlio Vargas nunca foi corrupto, era um Duce, um fascista tupiniquim de primeira.

ALZIRA VARGAS – filha de Getúlio Vargas, escreveu:
"Com o correr dos anos, porém, e principalmente a partir do Estado Novo de 1937, o poder central voltou a lançar cada vez mais seus tentáculos sobre o país inteiro. O intervencionismo do governo federal atingiu o auge quando Getúlio Vargas, num gesto tão grotesco quanto afrontoso, procedeu, em solenidade pública realizada no dia 27 de novembro de 1937, à queima das bandeiras dos Estados e à abolição dos hinos estaduais, numa afirmação da unidade nacional..."*
*Getúlio Vargas, meu pai”, p. 335


Vamos comparar Getúlio Vargas e Lulla da Silva?

O primeiro nasceu rico, o segundo pobre.

Getúlio dedicou sua vida à política e morreu com o mesmo patrimônio anterior.

Lula enriqueceu por meios que só ele e a cúpula petista conhecem.



Getúlio formou-se em direito na UFRGS e, antes de tornar-se político, era um bom promotor de justiça.

Lula concluiu apenas a escola primária e foi um mau metalúrgico, perdeu o pedaço um dedo e se aposentou por invalidez embora aquele pedação do dedo não impeça de trabalhar.



Getúlio liderou uma revolução popular contra a corrupção e o empobrecimento do país.

Lula lidera uma quadrilha de canalhas promovendo a maior corrupção da história humana.



Getúlio, presidente e ditador, levava multidões de trabalhadores aos estádios para ouvi-lo.

Lula paga multidões com verbas públicas para ouvi-lo.



Getúlio continua sendo “o pai dos pobres”.

Lula é o carrasco das pessoas decentes e o protetor de bandidos.



Getúlio criou a CLT para proteger os operários.

Lula acoberta o MST para proteger os desocupados.



Getúlio, bem relacionado com os alemães e americanos, aproveitou a 2ª Guerra para trazer dinheiro americano e iniciar a industrialização do país com a CSN.

  
Lula, amigo dos ditadores da Bolívia, Cuba, Uganda, Guiné Bissau e Nicarágua, manda o dinheiro dos brasileiros, via BNDES, para industrializar aqueles países.



Getúlio criou a Petrobras.

Lula destruiu a Petrobras.



Getúlio era viciado em chimarrão.

Lula era viciado em cachaça.



Getúlio fazia promoção do Brasil como estadista sempre bem vestido e falante com esposa dedicada aos pobres do Brasil.

Lula incorporou o personagem Jeca Tatu de Monteiro Lobato e a sua esposa é alheia aos interesses dos necessitados.



Houve um caso de corrupção no seu governo envolvendo Gregório Fortunato, o chefe de sua guarda pessoal; Getúlio matou-se de vergonha.

Lula teve inúmeros casos de corrupção em seu governo, são tantos que há dificuldades em apurá-los; ministros, parlamentares e amigos próximos dele foram presos ou respondem a processos. Centenas de bilhões de reais foram roubados dos brasileiros. Até o momento quando concluo este texto, não há notícias de Lula haver tentado o suicídio.


 Ambos brasileiros.

Getúlio, um ser humano notável.

Lulla, um dos seres mais desumanos.